Páginas

sexta-feira, 4 de março de 2016

O dia em que o príncipe parou uma Copa do Mundo


Anos atrás, escândalos em Copas do Mundo eram mais comuns. Durante a competição de 1982, realizada na Espanha, uma cena inusitada ocorreu durante a partida entre Kuwait e França, válida pela primeira fase do torneio. O placar já apontava 3 a 1 para os ‘Les Bleus’, até que o sheik Fahid Al-Ahmad Al-Sababe, irmão do Fundador do Comitê do país e presidente da Associação de Futebol do Kuwait, deixou o assento na arquibancada e invadiu o campo para protestar contra a validação do gol de Alain Giresse. Quer saber a continuidade? Vamos aos detalhes do futebol.


Todos sabem da importância política e da influência que ela exerce nos esportes de qualquer nação. A maioria dos presidentes utiliza do futebol e de outras modalidades esportivas para se promover em busca de popularidade. Alguns líderes políticos têm mais ousadia do que outros. O príncipe do Kuwait era um desses, bem ousados. Imagine agora um chefe de Estado ter a audácia de interromper uma partida desse calibre e tentar invalidar um gol contra sua equipe.

Gol anulado


No duelo entre sua seleção e a da França, pela segunda rodada da Copa de 1982, Al-Sababe invadiu o campo para protestar contra um gol sofrido pelos kuwaitianos. E o pior: conseguiu fazer com que o tento fosse anulado. Todo o tumulto aconteceu aos 27 minutos daquela partida. A França vencia o jogo tranquilamente por 3 a 1, e Platini ordenava as ações. No lance, o camisa 10 francês, faz um lançamento em profundidade para Giresse, que invade a área e bate forte para balançar as redes de Tarabulsi. Os franceses celebraram o gol, já os kuwaitianos foram reclamar da arbitragem. Eles protestavam e pediam um impedimento inexistente. Apesar da reclamação, o gol foi validado. Até que os jogadores da Ásia ocidental apontassem os dedos em direção às tribunas do estádio de Valladolid, onde o príncipe estava sentado. “Chefe, dá um jeito aqui”.

O líder político e futebolístico não titubeou. Ele desceu ao campo e discutiu, com veemência, com o árbitro soviético Miroslav Stupar e o ‘convenceu’ que alguém da arquibancada apitou e atrapalhou sua seleção. A confusão durou cerca de 10 minutos. A ação espantou até o próprio técnico da seleção da península Arábica, o brasileiro Carlos Alberto Parreira. E agora, treinador? Mais surpreendente ainda foi que o árbitro acatou a decisão e decidiu anular o gol. Isso mesmo, em plena Copa do Mundo e no velho continente. Que moral! Vale recordar que o sheik invadiu o gramado com vários guarda-costas. A partida foi retomada com uma constrangedora bola ao chão. Minutos depois, Bossis marcou o quarto gol para os franceses. Nada mais foi feito. Fim de jogo. França 4 a 1.

Punição


Anos depois, a Fifa puniu Al-Sababe e o árbitro Stupar pelo ocorrido. Esse fato controverso marcou a única participação do Kuwait em Copas do Mundo, em um grupo que havia Inglaterra e Checoslováquia, além da própria França. Em decorrência do incidente causado pelo sheik, a FIFA multou posteriormente a Federação Kuwaitiana de Futebol em U$ 11.800,00 (onze mil e oitocentos dólares), além de também punir o árbitro ucraniano.

O fim trágico de Al-Sababe


Em agosto de 1990, mais de cem mil tropas do Iraque invadiram o Kuwait, dando início à Guerra do Golfo, um dos maiores conflitos contemporâneos. Fahid Al-Sababe, que era irmão mais novo do Emir do Kuwait, acabou sendo morto pelos iraquianos no dia 02 de agosto ao tentar defender o Palácio de Dasman.

Repare no vídeo a ação de Al-Sabah: