Páginas

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

A redenção de Wendell Lira - do esquecimento ao estrelato



O dia 11 de janeiro de 2016 ficou marcado na história do futebol mundial ao coroar o goiano Wendell Lira com o gol mais bonito de 2015. Mas antes de falar da noite de gala em Zurique, na Suíça, vamos aos detalhes do futebol.





A revelação

O goianiense Wendell Lira foi uma das principais promessas de uma geração do Goiás que revelou nomes como o zagueiro Rafael Toloi, o lateral-direito Douglas e o atacante Welliton que estão atualmente no futebol europeu. O atleta chegou até a seleção brasileira sub-18 e seu futuro no futebol era visto por muitos como promissor. Foi destaque no Brasileiro Sub-20 e chegou a receber proposta do Milan, da Itália.



De revelação ao desemprego

Porém, aos 26 anos, ele estava desempregado, cabisbaixo, e quase mais um esquecido do mundo do futebol, é verdade, Wendell pensou em desistir de jogar bola. Quem não pensaria? Por quase dois meses, o atacante trabalhou com a mãe Maria Edileuza e a esposa Ludymila em uma lanchonete no condomínio onde mora. Ele também dobrava panos e os etiquetava para ganhar 25 reais por dia com um amigo. A carreira futebolística de Wendell sempre foi marcada por lesões, foi até apelidado de atleta “bichado”. Logo em seu primeiro ano como profissional do Goiás, em 2006, o jogador atuou pouco, devido a contusões musculares. Um ano depois, se firmou com os profissionais. Em 2008, rompeu o ligamento cruzado do joelho direito e ficou um bom tempo em recuperação. Em 2011, passou por outra cirurgia no joelho e em 2012 o contrato com o Goiás acabou. Nos anos seguintes, passou por vários times de pouca expressão nacional, a maioria no interior do estado goiano. Ele ainda sofreu com mais uma cirurgia no ombro, após se chocar com o goleiro Harley, ex-Goiás, em 2013.



11 de março de 2015, o dia que a vida de Wendell mudou

Em uma noite chuvosa na cidade de Goiânia, jogariam Atlético Goianiense e Goianésia, no Estádio Serra Dourada, jogo válido pelo Goianão 2015. O local da obra de arte de Wendell estava quase vazio, com apenas 389 pagantes. Tudo começou com a persistência do veterano Nonato do Goianésia, que evitou saída de bola na linha de fundo. Ele ainda tabelou com Da Matta, que tocou por cobertura para Wendell Lira. Em velocidade, o jogador estava ultrapassando a linha da bola, mas se virou com uma meia-bicicleta, ou um “Karatê Kid” ,como disse Neymar, e marcou um golaço para o time do interior, que futuramente, desbancaria nomes consagrados do esporte no velho continente na disputa do gol mais belo da temporada.



O poder dos brasileiros

A internet brasileira é capaz de realizar campanhas virais inacreditáveis. Basta um “Up” de aceitação, e foi o que aconteceu. A humildade de Wendell apresentada em cada entrevista concedida conquistou o país inteiro. Diversos sites e páginas esportivas e grupos de discussão do Facebook se uniram para que o gol de Wendell fosse escolhido para a grande final, fazendo com que ele já garantisse um lugar na premiação do dia 11 de janeiro, em Zurique, na sede da Fifa. E não deu outra, ele foi o grande vencedor. Com 46,7% dos votos, atacante goiano superou o melhor do mundo Messi, do Barcelona e o italiano Florenzi, da Roma, na corrida pelo gol mais bonito. Foram 1,6 milhões de votos. Wendell Lira teve 46,7%, Lionel Messi, 33,3%, e Alessandro Florenzi, 7,1% dos votos. Wendell é o segundo brasileiro a vencer o prêmio, que Neymar levou em 2011.


O discurso perfeito

Foi a festa com terno doado e saiu ovacionado. Viu pessoalmente aqueles em que jogava no videogame. Conheceu Kaká, Messi, Ronaldo, Neymar e várias estrelas do futebol mundial. Ao receber o prêmio do japonês Nakata, Wendell Lira não só ganhou o troféu Puskas, como conquistou o mundo com sua humildade. Ele mostrou que o futebol não é fácil como muitos imaginam. O atleta agradeceu a todos que o ajudaram e se tornou exemplo de superação para as pessoas. O jogador deixa um recado que nunca devemos desistir, por mais difícil que seja o obstáculo. O discurso foi carregado de emoção e fé. O atacante também usou uma passagem bíblica quando Davi enfrenta Golias, e deixa de lição que há um Davi em cada um de nós, e que podemos fazer coisas grandes em nossas vidas, basta acreditar e ir atrás.


Puskas?

O prêmio foi criado em 20 de outubro de 2009 pela Fifa para premiar o jogador que marcou o gol mais bonito do ano. É uma homenagem ao jogador húngaro Puskás que defendeu o time espanhol do Real Madrid nas décadas de 50 e 60.

As homenagens

O município de Goianésia nunca esteve tão na mídia como agora, um marketing inimaginável com o feito de Wendell Lira quando vestia a camisa do time da cidade. Não há como negar, Goianésia está no mapa do mundo do futebol. Wendell deve receber do prefeito o título de Cidadão Goianesiense da Câmara Municipal, assim como a medalha de Honra ao Mérito. Há também uma pretensão de contratar um artista plástico para fazer uma escultura simulando o voleio do jogador. O Vila Nova, seu atual time, pretende homenageá-lo durante o clássico de abertura contra o rival Goiás. E essas são só algumas das homenagens que Wendell deve receber.

O futuro

Poucos dias ao ser nomeado candidato ao prêmio Puskás, o atacante Wendell Lira deixou a fila do desemprego. Ele estava sem clube há cerca de três meses, quando acabou seu contrato com o Tombense, de Minas Gerais, o atleta de 27 anos acertou com o Vila Nova de Goiás um contrato de um ano. Pelo time alvirrubro, Lira terá a oportunidade de disputar o Campeonato Goiano e a Série B em 2016, já que o Vila Nova conseguiu o acesso para a Segundona. Caso receba uma proposta de um time do exterior, contudo, ele deixará a equipe do Centro-Oeste.

Do futuro do jogador ainda não sabemos, mas o feito e o legado de Wendell Lira será lembrado eternamente.


“São apenas detalhes do futebol”