Páginas

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

O menino Ade virou Tite e se tornou o técnico mais elogiado do país



Em 1970, em Caxias do Sul, o jovem Adenor Leonardo Bachi, ou simplesmente Ade, conhecia o futebol. Ele tinha 12 anos e adorava jogar bola todas as tardes com o irmão mais novo, Miro. O frio na região não os impediam. A paixão pelo esporte era grande, e como não tinha quadra de futebol por perto, eles precisavam pular o muro de um colégio de freiras da cidade para que não ficassem sem o passatempo preferido. Vamos conhecer os detalhes do futebol do técnico mais vitorioso do Corinthians.


Tite por engano

Ade tinha 14 anos e era um dos destaques do torneio entre escolas estaduais do Rio Grande do Sul. Em um dos jogos, o time de Adenor enfrentaria a Escola Estadual de Cristovão Mendonza, e essa equipe era comandada por ninguém menos do que Luiz Felipe Scolari, que na época era veterano do time do Caxias e professor de educação física. Felipão ouviu falar que o adversário tinha um meia habilidoso com grande potencial para se tornar profissional. Adenor compunha o meio de campo do Colégio Emílio Meyer com outro aluno, o verdadeiro Tite. Felipão gostou muito do camisa 10, mas confundiu o nome dele e passou a chamá-lo de Tite, na verdade era o Adenor. Que confusão, Felipão!  Depois, o jovem Ade foi apresentado aos diretores do Caxias, onde se profissionalizaria e atuaria ao lado de Scolari, mas sempre com o apelido errado.


O jogador Tite

Ante de se tornar o treinador que é, Tite atuou como jogador pelo Caxias, pelo Esportivo de Bento Gonçalves, Portuguesa e, por fim, no Guarani, onde teve seu auge, sendo vice-campeão no Campeonato Brasileiro de 1986 e no Campeonato Brasileiro de 1987, a antiga Copa União. Foi também vice-campeão no Campeonato Paulista de 1988. Tite encerrou a carreira um ano depois, após sérias lesões nos joelhos.

Chega de vice, quero ser campeão

Depois de treinar pequenos times do Rio Grande do Sul, chegou à vez de erguer a taça. Em 2000, dirigiu o próprio Caxias e realizou uma campanha surpreendente no Campeonato Gaúcho ao bater o Grêmio de Ronaldinho Gaúcho na final. Com o título, consequentemente vêm o reconhecimento e o sucesso. Por isso, ele foi contratado pelo tricolor gaúcho em 2001 e sagrou-se campeão estadual novamente. Com o Grêmio, no mesmo ano, conquistou a Copa do Brasil sobre o Corinthians. E foi no timão, que ele teve os melhores momentos da carreira. Mas antes de conquistar a glória no alvinegro, teve passagens por São Caetano, Internacional, Atlético Mineiro, Palmeiras e dois times dos Emirados Árabes Unidos.

O Adenor do presente

Tite se reinventou, estudou na Europa , evoluiu e conquistou o que muitos duvidavam. O time do Corinthians foi desmontado, mas ele o montou com as peças que tinha. Quem apostaria no timão para 2015? Ninguém. Ele foi de técnico retranqueiro a técnico com esquema mais compacto e ofensivo do Brasileirão. O estilo é envolvente, a movimentação dos comandados de Tite impressionam . Sem falar na honestidade e no caráter do treinador, que  fazem dele o comandante mais elogiado do Brasil, tanto para torcedores, quanto para os jogadores.

Tite está cada vez mais marcado na história do Corinthians. Depois de um ano sabático, o técnico retornou ao Timão para aumentar sua hegemonia na lista dos treinadores mais vitoriosos pelo clube. Absoluto na conquista das taças com o triunfo no Brasileirão, ele deve se transformar até o fim de seu contrato no comandante com mais jogos dirigindo o Alvinegro.

A relação de títulos de Tite no Corinthians impressiona. Começou em 2011, com uma situação semelhante a agora. O Timão havia sido eliminado na primeira fase da Taça Libertadores, pelo Tolima, mas conseguiu superar a crise e arrancou no segundo semestre para vencer o Campeonato Brasileiro. Deixaram o homem trabalhar.

Em 2012, o treinador levou o clube ao ápice. De forma invicta, a equipe conquistou a inédita taça da Libertadores e, em dezembro, levou também o Mundial de Clubes. Na temporada seguinte, mais dois títulos: o Timão conquistou o Campeonato Paulista e ainda bateu o rival São Paulo na decisão da Recopa Sul-Americana.

Com seis títulos, Tite aumentou sua vantagem sobre um dos maiores nomes da história do Corinthians. Oswaldo Brandão era até 2013 o técnico com mais títulos pelo clube. Ele ficou marcado pela vitória no Paulistão de 1977, acabando com um jejum de 22 anos – também venceu o estadual de 1954, além do Torneio Rio-São Paulo de 1954 e 1966. Brandão, aliás, é o dono do recorde que Tite deve quebrar até 2017. O treinador lidera em número de jogos no comando do Corinthians. São nada menos que 435 partidas. O atual técnico alvinegro aparece em segundo, com 340, e vai encerrar a temporada com 343. Com a disputa da Libertadores, do Paulistão e do Brasileiro, Tite vai superar a casa dos 400 jogos em 2016 e ficar ainda mais próximo de Brandão. Os números dependerão do desempenho da equipe nos torneios. A tendência, assim, é de que ele assuma a liderança no primeiro semestre de 2017 – tem contrato até dezembro daquele ano. E pra você que duvida do trabalho desse treinador, Adenor deixa o recado: “Fala muito”.

"São apenas detalhes do futebol"

Fontes e referências:

UOL.com.br

ESPN.com.br

Globo.com

Estadão.com.br  

meutimao.com.br/

Globo.com


Confira o vídeo em homenagem a Tite: